MENSAGEM DE ANO NOVO

MENSAGEM DE ANO NOVO

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Atuação em Floresta

Reunião para pensar Projetos Culturais para a Juventude Florestana

A minha atuação em Floresta se deu a partir de julho de 2009 e no referido ano fui o responsável pela assessoria nas questões de Juventude e Cultura, além de orientar e acompanhar a realização da 1ª Conferência Municipal de Cultura e de construir um inédito documentário sobre a Semana da Consciência Negra em Floresta a partir da Realização do Festival de Cultura promovido pela FUNDARPE.

Participação na Semana do Folclore em 2009
Coordenando um Eixo Temático na 1ª Conferência de Cultura de Floresta
Em 2010, fui responsável pela elaboração dos Projetos de Lei de Criação do Conselho Municipal de Juventude e da Semana da Juventude, além das leis do Conselho Municipal Anti-Drogas, do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência, do Sistema Municipal de Cultura, da Semana da Consciência Negra e do feriado do dia 20 de novembro DIA NACIONAL DA CONSCIÊNCIA NEGRA; realizei acompanhamento e assessoria para a Fundação da Associação Quilombola Filhos do Pajeú, bem como seu reconhecimento pelo município e pela Fundação Cultural Palmares; orientei e acompanhei a realização da 1ª Conferência de Juventude e a criação do Conselho Municipal de Juventude; Coordenei a realização do Projeto Identidade Cultural do Instituto Cultural Raízes com a finalidade de contribuir para o resgate e preservação das tradições culturais de Floresta; coordenei a realização da 2ª Semana da Consciência Negra e do Dia Nacional da Consciência Negra em Floresta; escrevi o livro e coordenei a produção do Documentário “Quilombolas – Filhos do Pajeú”, publicados pelo Instituto Cultural Raízes.


Discursando na Abertura da 1ª Conferência de Juventude em Floresta
Dia Nacional da Consciência Negra - Resgatando as Nossas Raízes 
No ano de 2011, realizei assessoria ao Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável, coordenei o Projeto Juventude e Cultura do Instituto Cultural Raízes em parceria com o Instituto da Juventude realizando oficinas e cursos com crianças, adolescentes e jovens dos bairros populares e de várias comunidades rurais de Floresta, como forma de levar a prática cultural para os mesmos afastando-os dos riscos do mundo das drogas e outros males e incentivando a criação de grupos culturais a partir dos talentos descobertos nas comunidades.


Coordenando o Projeto Juventude e Cultura
Ainda no mesmo ano, coordenei a realização de diversos cursos profissionalizantes (à serviço do Instituto da Juventude) com foco na realidade e no potencial dos grupos e comunidades; assumi a responsabilidade de iniciar a realização de Encontro de Tradições Culturais voltados para o resgate e a preservação das tradições culturais das comunidades de Floresta, tais como o São Gonçalo, o Coco de Roda, a Mazurca, o Forró Pé-de-Serra, a Banda de Pífano, o Xaxado, o Toré e, ao mesmo tempo inserindo várias tradições afro-indígenas de Pernambuco e do Nordeste, como é o caso da Capoeira, do Maculelê, do Afoxé, do Maracatu, da Ciranda e do Caboclinho.

Coordenando os Encontros de Tradições Culturais nas Comunidades de Floresta
Também em 2011, representando o Instituto Cultural Raízes, atuei como Coordenador Técnico do Ponto de Cultura A Vida é uma Arte, sendo responsável pelas oficinas e pelas mostras culturais da Semana do Folclore e da Consciência Negra. Coordenei à realização da 3ª Semana da Consciência Negra e do Dia Nacional da Consciência Negra. Por fim, representando o Instituto da Juventude, assumi a coordenação da contratação da equipe técnica do Programa Atitude, também fiquei responsável pela realização de oficinas preventivas e de atendimento direto aos usuários de drogas que frequentam a casa de apoio.


Com o Grupo Dandara. Primeiro Grupo Cultural que formei em Floresta
Em 2012, continuei a atuação de forma mais intensa, começando com a elaboração do Projeto de Lei da Semana dos Povos Indígenas, coordenei a ampliação do trabalho cultural de resgate e preservação das tradições culturais das comunidades com a realização de quatro grandes encontros e, à frente do Instituto Cultural Raízes, desenvolvi a estruturação de grupos de danças e percussão, além das atividades de oficinas e cursos de artesanato, capoeira, xadrez, violão, entre outras atividades educativas e de prevenção, atendendo à crianças, adolescentes e jovens de origem quilombola e indígena e, outros em situação de risco e vulnerabilidade social e pessoal do município de Floresta.
Em dezembro de 2012, más precisamente no dia 28, recebi o título de cidadão florestano, concedido pela Câmara de Vereadores de Floresta por indicação do Vereador Ézio Feitosa e aprovado pela unanimidade dos Vereadores.
 
 
Recebendo o Título de Cidadão Honorário Florestano
2013, inicia-se com a consolidação do trabalho à frente do Instituto Cultural Raízes e realizando o acompanhamento aos nossos grupos culturais formados: Dandara, Maracatu Afrobatuque e Afoxé Filhos de N’Zambi e mantendo os projetos juntos às crianças, adolescentes e jovens remanescentes de quilombolas e indígenas do município.Também realizei várias pesquisas que servirão de base para publicações futuras, além de aprofundar o trabalho sócio-cultural com a Comunidade do Vulcão, ampliando para além da relação quilombola, possibilitando a inclusão de várias outras crianças e adolescentes.
Foi o ano em que possibilitou a divulgação e expansão do trabalho para além das fronteiras de Floresta, onde pudemos realizar apresentações culturais em Petrolândia, Parnamirim, Arcoverde e Salgueiro.
O momento de maior significado em 2013, foi a realização do 1º Festival Multicultural da Juventude, onde de forma inédita pudemos realizar um grande evento com a cara da Cultura Popular, onde tivemos a participação de vários grupos culturais e da Nação do Maracatu Porto Rico.


1º Festival Multicultural da Juventude
Os anos de 2014 e 2015, além desse início de 2016, estão tendo um imenso significado em toda a minha trajetória no município de Floresta.

Em julho, serão 7 (sete) anos, desde as primeiras atividades desenvolvidas e seis anos de residência fixada.

Neste período tenho realizado um trabalho sério, responsável e dedicado, mostrando que é possível construir alternativas sócio-culturais para que crianças, adolescentes e jovens pensam agir e pensar numa vida melhor e num mundo de respeito, tolerância, paz e cidadania.

Os resultados positivos, obtidos ao longo da caminhada, são a prova inquestionável de que às nossas raízes e tradições expressadas na Cultura Popular, podem produzir mudanças radicais (e pra melhor) na vida das pessoas.

Particularmente, o atual momento tem sido o de maior riqueza de aprendizado em toda a minha trajetória de vida. Aprendizado este que resultou em mudanças significativas e impactantes na minha própria existência.

Maracatu Afrobatuque. Principal Grupo Cultural de Floresta

Nenhum comentário:

Postar um comentário