MENSAGEM DE ANO NOVO

MENSAGEM DE ANO NOVO

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Brasil, crise atual - quem é responsável?


O nosso país, historicamente tem vivido inúmeras crises e, vai e volta surgem períodos em que atingem o seu alge.

Vivemos um momento em que atingiu o seu nível máximo o conjunto de pragas que fazem parte da vida pública, como a corrupção, o clientelismo, a troca de favores, entre as diferentes escalas dos poderes, associados com a ganância, a sede de poder, pelo poder, o autoritarismo e os desmandos em geral.

O que é pior, é que esse conceito está alimentado e se perpetua na sociedade como um todo, a partir do slogan "jeitinho brasileiro".

O chamado jeitinho brasileiro, criado pelos donos do sistema e estendido como conceito junto à população é o grande responsável por esse mar de lamas que repetidas vezes vemos ser mergulhado nosso lindo e grande Brasil.

É com esse conceito de fazer as coisas "por debaixo dos panos" que políticos em tempo de eleição e cidadãos/eleitores estabelecem seus entendimentos e "acordos" em troca do voto que acaba garantindo mandatos e blindagem especial a muita gente descarada e corrupta.

A corrupção, o autoritarismo, a violação de direitos, a mentira e a enganação, estão impregnados na nossa vida desde o início da formação do pais chamado Brasil e, conseguem (com muita habilidade) se renovar de tempos em tempos. Mudam de roupa, mudam de cara, mudam de partido, criam novos partidos, más não mudam a essência das coisas.

Políticos e outras autoridades (em sua maioria), empresas e o cidadão comum, têm como entendimento padrão que não se consegue crescer e ter poder nesse país, se não mentir, enganar e roubar.

"O mundo é dos mais espertos" ouvimos isso desde pequenos e crescemos achando que ser esperto é ser capaz de enganar os outros, pra poder se dar bem.

Fui militante e dirigente do PT-Partido dos Trabalhadores de 1987 até o momento em que estourou o esquema do mensalão. Confesso que perdi o encanto quanto a um partido que se propunha a algo diferente e que acabou (por conta de alguns integrantes) mergulhando na mesma prática dos demais partidos.

E diga-se de passagem ainda tem muita gente séria no PT e alguns outros poucos partidos. O problema está na concepção sobre as formas de manter o poder ou de como se chegar a ele.

O erro estratégico do PT, se localizava em dois aspectos (ao meu ver), o primeiro foi ter abandonado à organização de base (caracteristica mais forte de sua criação) e, o segundo foi pensar que seria possível manter-se no poder (governo) fazendo alianças espúrias e adotando às mesmas "formas" de levantar recursos, repetidas por outros partidos.

Vale ressaltar também, que não é obra exclusiva do PT a criação do mensalão ou de formas de corrupção em estatais como no caso da Petrobras.

Não aceito essa idéia (em prática) de criminalizar o partido, pois pela história de surgimento do PT e pela história de luta e de vida de muita gente séria que continua segurando a bandeira em suas fileiras, o PT merece respeito.

Nenhum partido é isento de corrupção, dos menores aos maiores, todos para chegar a ocupar parcela de poder, entram em "jogadas por fora" entram em "esquemas e negociatas à margem da lei".

O PMDB, o PSDB, o DEM e demais partidos aliados não tem moral suficiente para tentar criminalizar um partido inteiro.

O afastamento da Presidente Dilma, às investigações e prisões seletivas, toda essa carga da mídia e dos setores dominantes, servem exclusivamente para encobrirem muito mais sujeira do que as que são atribuídas ao PT.

Que seja investigado ao extremo e que os responsáveis sejam realmente punidos, más se quisermos passar a limpo a história do Brasil, ou da corrupção no Brasil, não podemos esquecer dos que antecederam o governo petista e, os que ainda hoje continuam praticando a corrupção e demais atos repudiáveis.

Esse caos e essa marca negativa de nosso Brasil e, particularmente dos políticos e de outros setores dominantes só terá solução, quando a maioria da população for consciente em seus atos, tiver a formação e a educação necessária para não se submeter ao jogo sujo da compra e venda de votos, quando aprendermos que não se constrói um país digno com atitudes corruptas.
Quando isso irá acontecer, não sei ao certo. Só sei que acredito ser possível mudar, transformar e, construir uma nação que tenha como base principal de seu desenvolvimento: o ser humano, o bem social, oportunidades iguais e práticas administrativas corretas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário