MENSAGEM DE ANO NOVO

MENSAGEM DE ANO NOVO

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Isso é cultura ou degradação moral?


Nos últimos anos tem se intensificado em nosso país várias formas de "expressão musical" tais como o funk e a swingueira, entre outras imbecilidades do tipo, caracterizadas pela apelação sexual, colocando às mulheres como objeto de consumo e, de forma degradante a partir de determinadas coreografias e palavras que comprometem até mesmo do ponto de vista moral.

O duplo sentido e a sensualidade sempre estiveram presentes em vários ritmos musicais e, isso é inerente ao povo brasileiro e latino em especial.

Más, uma coisa é a sensualidade, e outra coisa totalmente diferente é a vulgarização.

Não consigo conceber que (dizendo claramente) putaria seja associada com musicalidade e muito menos com cultura.

Na minha compreensão do que é cultura não cabe tratar a mulher de "cachorra" e outros adjetivos semelhantes como algo normal.

Também não considero que coreografias que simbolizam posições sexuais seja proclamadas como danças.

Todo esse processo que é alimentado pela mídia de consumo e que é assimilado por pessoas influenciadas, comprometem a educação e a formação pessoal (especialmente) de crianças e adolescentes, deturpando o aprendizado e a compreensão sobre a sexualidade e sobre o respeito para com o outro.

As "letras" de determinadas "músicas", sobretudo de funk (em sua maioria), estimulam a violência, o sexo irresponsável, a agressividade, o consumo de bebidas alcoolicas/drogas e outras questões extremamente negativas. Não é por acaso que vemos tantos casos de violência e indisciplina entre crianças, adolescentes e jovens (inclusive nas escolas).
Não é por acaso que se registram tantos casos de gravidez na adolescência.
Não é por acaso que cresce o consumo de álcool e outras drogas entre adolescentes e jovens.
Não é por acaso que as doenças sexualmente transmissíveis tem aumentando entre jovens.

Não basta dizer que esses males que atingem os adolescentes e jovens é resultante apenas da questão social desfavorável. Trata-se (antes de tudo) de uma questão educacional, de uma questão de formação cidadã.  


Certamente, alguns irão dizer que estou equivocado, que isso é cultura e, que devemos respeitar o gosto dos outros.

Eu aqui afirmo que não se trata apenas de respeitar o gosto dos outros e, sim de analisar do ponto de vista pedagógico qual o efeito danoso que isso tudo tem sobre as pessoas.

Não sou conservador, apenas busco diferenciar as práticas e refletir a partir dos fatos que acontecem no dia-a-dia.


O que mais me preocupa e me entristece (ao mesmo tempo) é ver que esse lixo cultural é reproduzido também em ambiente escolar. Num espaço que deveria formar e ajudar a refletir e identificar as formas corretas de expressão de musicalidade e cultura a partir das raízes etnicas que compõem a nossa formação social. É inaceitável!

É um sinal agravante de que muita coisa precisa ser revista e corrigida a partir da escola. Caso contrário, o que podemos esperar das novas gerações que estão sendo "formadas"?

Se faz necessário termos a coragem de enfrentar esse desafio de resgatar os valores indispensáveis para uma formação adequada e de qualidade. De resgatar o que é realmente cultura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário