PONTO DE PARTIDA

PONTO DE PARTIDA

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Fevereiro - Um mês especial

 
Victor Ernesto - meu terceiro filho
Fevereiro é para mim um mês inesquecível, daqueles que por diversas razões não me saem da memória.

Minhas recordações seguem uma ordem cronológica na seguinte forma: 

O dia 2, lembra o nascimento do meu terceiro filho, Victor Ernesto Silva da Paixão, nascido em 2 de fevereiro de 2001, hoje com 16 anos.
Ele (assim como meus outros dois filhos) é uma luz em minha vida e uma forte razão para seguir em frente na minha luta diária.

Maria Afonso da Paixão - Minha Mãe
O dia 5, lembra do aniversário de nascimento de minha mãe, Maria Afonso da Paixão, nascida em 5 de fevereiro de 1932 e falecida em 9 de junho de 2005, com 73 anos de idade.
O que antes era a recordação do aniversário dela, nos últimos 12 anos tem sido a dor e a tristeza de sua ausência.

João Francisco da Paixão - Meu Pai
O dia 17, marca o falecimento de meu pai, João Francisco da Paixão, ocorrido no dia 17 de fevereiro de 1981, aos 58 anos de idade.
São 36 anos, sem sua presença, cuja ausência me faz imensa falta.

Diego Andrade da Paixão - meu primeiro filho
O dia 27, marca o nascimento de meu primeiro filho, Diego Andrade da Paixão, ocorrido em 27 de fevereiro de 1989, hoje com 28 anos completos.
Meu primogênito, minha primeira alegria em ver o nascimento de um filho. Luz pra minha vida, razão (a exemplo dos outros dois filhos) para seguir em frente.

Fevereiro é também um mês decisivo em minha vida.
Por vários anos tem sido nos meses de fevereiro que surgem novos desafios, novas oportunidades, luta contra adversidades e, realizações várias.

E assim, entre vitórias e derrotas, perdas e ganhos, chegadas e despedidas, que fevereiro é um mês muito especial pra mim.

 

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

CONSCIENTIZAÇÃO


A Conscientização é o ato de se tornar consciente. Esclarecido sobre algo que é necessário para nosso aprendizado, tomar consciência nos prepara e evita hábitos inadequados.

Conscientização é o ato de estar ciente, isto é, ter conhecimento sobre algo e a partir daí, passar a refletir, julgando o que está certo ou errado em suas atitudes de tal forma que seu objetivo passe a ser a transformação de si mesmo e depois da sociedade como um todo. Não basta saber, conhecer. É necessário agir, a fim de que a conscientização se torne efetiva e eficaz, perante a sociedade, de tal forma que os assuntos pertinentes sejam, senão resolvidos, pelo menos amenizados. A conscientização exige luta.

Paulo Freire: Diz que o processo de conscientização é o processo de confrontação do indivíduo com a realidade, na tentativa de compreendê-la. Superar as visões ingênuas sobre a realidade, ficar diante dela, disposto a transformá-la. Essa transformação nunca é um ato individual, sempre será coletivo, um ato político, conjunto e público. Os processos de conscientização são processos de superação da consciência ingênua. De nada adianta dizer que tem consciência da realidade, que conhece o funcionamento do mundo que o rodeia se não agir, fortemente, para transformá-lo em algo melhor.

O homem é um ser inacabado, que se educa e se transforma. É um ser na busca constante por ser mais. Aqui está a razão fundamental da educação.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Meus Filhos, razões para viver

De todas as alegrias, realizações e conquistas que já tive em minha trajetória de vida, uma das principais são os meus três filhos.

Cada um quando nasceu trouxe luz pra minha vida e, tem sido por eles que tenho buscado trilhar pelos caminhos do bem.

Agradeço imensamente a Deus, por me proporcionar esta alegria e por estar vivendo o crescimento de cada um deles.

Por minha opção de vida, nem sempre pude estar perto como deveria, más eles são para mim a motivação para seguir em frente, e o incentivo para enfrentar e vencer inúmeras dificuldades.


DIEGO ANDRADE DA PAIXÃO, meu primeiro filho.

Nasceu no dia 27 de fevereiro de 1989 às 12:35 horas, em Caruaru/PE.

Quando o Diego nasceu eu já estava em meio à luta no Movimento Sindical e no Partido dos Trabalhadores de Caruaru. Estávamos já em discussão para a participação da histórica Greve Geral contra o Governo de José Sarney, que veio a acontecer em 14 e 15 de março de 1989.

O nascimento de Diego, me trouxe uma grande emoção, pela primeira vez (aos vinte e um anos de idade) eu estava vivendo a experiência de ser pai, em meio às lutas sociais que caracterizam grande parte de minha história de vida.

Quando o segurei em meus braços, na manhã do dia posterior ao seu nascimento (oportunidade em que fui buscá-lo no hospital junto com sua mãe) senti uma alegria diferente e tive a consciência de que minha responsabilidade (a partir daquele momento) passaria a ser maior.

Na noite do dia 28, dei-lhe o nome de Diego. Eu já estava mergulhado na história das lutas populares da América Latina e o nome Diego me caiu bem, por ser um nome latino muito forte.

Significado do nome:
Diego: Significa “aquele que doutrina”, “conselheiro”; “aquele que vem do calcanhar”.
Diego é um nome de origem espanhola, no entanto possui sua raiz etimológica duvidosa ou incerta.
Algumas fontes o relacionam com o latim didacus, que deriva do grego didache e que quer dizer “doutrina” ou “ensino”. Assim, o nome Diego tem o significado de “aquele que doutrina”, “aquele que ensina”. 
 

PABLO GUEVARA ANDRADE DA PAIXÃO, meu segundo filho.

Nasceu no dia 03 de julho de 1993 às 11:40 horas, em Caruaru/PE.

Quando o Pablo nasceu eu já estava vivendo o auge de uma militância sócio-política e sindical, meus horizontes não se restringia somente a Caruaru. Viajava por vários estados do nordeste, várias cidades de Pernambuco. Estimulando a formação de Sindicatos, desenvolvendo atividades políticas intensas. Minha consciência política e meus ideais de vida já estavam consolidados.
 
Quando fui buscá-lo no hospital senti que deveria fazer uma dupla homenagem, que representasse o momento que eu estava vivendo e a emoção de ser pai pela segunda vez.
 
À noite, dei-lhe o nome de Pablo Guevara. 
 
Pablo, em homenagem ao Poeta Chileno Pablo Neruda, grande referencial para a América Latina, por seus escritos e seus ideais.
 
Guevara, em homenagem a Ernesto Che Guevara, o qual é para mim o símbolo maior do guerrilheiro, do lutador social, do construtor de uma nova sociedade.
 
 
VICTOR ERNESTO SILVA DA PAIXÃO, meu terceiro filho.

Nasceu no dia 02 de fevereiro de 2001 às 15:10 horas, em Palmares/PE.

Quando o Victor nasceu eu estava numa outra fase de transformações em minha vida. Minha atuação estava concentrada na zona da Mata Sul de Pernambuco, especialmente no município de Água Preta. Morava em Joaquim Nabuco e estava em meu segundo casamento.
 
Os ideais de vida, as convicções e minhas ideologias permaneciam as mesmas de antes, más por força de circunstâncias, passei por alguns traumas, perdas e insucessos.
 
Seu nascimento trouxe (à exemplo de meus outros dois filhos) muita luz pra minha vida e a tranquilidade que eu precisava naquele momento de turbulências.
 
Dei-lhe o nome de Victor Ernesto.
 
Victor, em homenagem ao poeta, cantor e compositor Chileno Victor Jara, preso, torturado e morto pelo Golpe Militar liderado por Pinochet no Chile em 1973.
 
Ernesto, foi mais uma vez em homenagem a Che Guevara.